Cesariana só em último caso?

Blog-81

Não, cesariana SE for o caso, quando for necessário.

“Em último caso” dá uma impressão de que passou do ponto, né? De que foi além do limite.

Essa é uma lenda que habita no mundo do parto chamado de humanizado: a ideia de que, em algum tipo de contexto, o parto normal foi “forçado”, ou de que se desejava o parto normal “a qualquer custo”.

E o que acontece realmente é que nossa equipe está sempre prestando um cuidado atento para identificar fatores que indicam que é necessária a via cirúrgica para o nascimento e não há hesitação em se indicar e realizar uma cesariana necessária. Ao contrário, há alegria e alívio por podermos contar com esse recurso já tão avançado tecnicamente nos dias de hoje.

Nossa taxa de cesariana dos últimos meses na Luz está em 13,9%. Mas já esteve maior e menor que isso e levamos em consideração a Declaração da OMS sobre taxa de cesáreas: “Os esforços devem se concentrar em garantir que cesáreas sejam feitas nos casos em que são necessárias, em vez de buscar atingir uma taxa específica de cesáreas.”¹

Há mulheres e bebês que vão precisar trilhar o caminho da cirurgia para se conhecerem.

O que temos aprendido é que, mesmo depois de tantos anos de estudo, há momentos em que nos rendemos aos mistérios da Vida. Nem sempre teremos todos os porquês.

E que, respeitados tempos necessários de processamento das experiências, muita honra e reverência pode ser dada a uma cicatriz que representa o portal por onde ocorreu a travessia daquela mulher tornando-se mãe e daquele bebê estreando do lado de cá.