Comer placenta? Eca! Que legal!

Comer placenta? Eca! Que legal!

As mulheres que optam por um parto normal (ou parto humanizado) já são vistas como “anormais” por grande parte dos familiares e amigos. Se forem ter um parto domiciliar então… já pode ir pegando seu cocar e mudando para a tribo. Agora comer a placenta, aí já é demaaaaissss!!

Vou fazer então uma grande revelação: as mulheres, cada vez mais, nos procuram para desidratar e encapsular suas placentas. As cápsulas são uma forma muito discreta de consumir a placenta no pós parto e tem tido cada vez mais adeptas. Sobre o status quo da literatura científica que respauda o uso das cápsulas, há pouca coisa escrita e sem desenho metodológico que permita tirar conclusões.

Mas esse post é para falar do relato das mulheres que ingeriram suas cápsulas de placenta. Se o parto (especialmente o parto domiciliar) é um evento extremamente íntimo e privado na vida das mulheres, quem dirá a placentofagia? (esse é o nome que se dá para o consumo da placenta, independentemente do modo de ingestão). Não é todo mundo que está disposto a compartilhar com quem não conhece essa experiência.

Então mandei um email perguntando para uma lista de contatos com muitas mulheres que tiveram o parto domiciliar e encapsularam e consumiram suas placentas desidratadas no pós parto para saber o que sentiram com o uso.

Não é científico, mas é verdadeiro e pode ajudar mulheres que estão a procura desses relatos para decidirem o que fazer com suas placentas.

E se você que está lendo quiser contar também sua experiência, manda para a gente adicionar aqui! Boa degustação, ops, leitura!!

 

  1. Carol:

 “Você disse comer placenta? É nois!!! Hahhahaha! Dou meu depoimento com prazer!

O que eu senti:

Senti uma disposição muito maior em relação ao meu primeiro pós-parto. Havia dias em que eu não chegava a dormir quatro horas por noite e, mesmo assim, conseguia ter pique para cuidar do bebê e do mais velho. Também senti diferença no meu humor (beeeeem menos crises de choro) e até na libido, que não demorou séculos pra voltar como da primeira vez.

É claro que esses efeitos podem ter sido sugestionados, mas foi super importante pra mim consumir as cápsulas de placenta. Me senti mais conectada comigo mesma. Ainda guardo algumas no freezer, tomo quando estou exausta energeticamente falando. E me sinto bem melhor! Pode dar meu nome!” Carol Vicentin, 31 anos”

 

  1. Joana

“Ana, foi meu primeiro parto, já com as cápsulas de placenta, então não tenho muito como comparar. Mas vamos lá:

Eu tive pouquíssimos momentos de “blues pós parto” e o que eu tive que foi com vontade de chorar e tudo mais, foi antes de começar a tomar as cápsulas.  Nos dias que eu tomo duas cápsulas, meu peito enche muito mais.

E além disso, acho que a recuperação da minha anemia foi bem mais rápida com as cápsulas, estava me sentindo fraca, tonta e mais branca que a branca de neve. Uma semana tomando as cápsulas, me senti muito melhor.

Beijos,

Joana”

 

  1. Brisa:

“Então, meu depoimento:

Foi meu primeiro filho e também não tenho como comparar, mas tive um pós parto super tranquilo, com raros momentos de blues também. Comecei a ingestão de placenta no dia seguinte ao parto, com isso, apesar das poucas horas dormidas nos primeiros dias, sempre me sentia disposta. Eu estava meio anêmica já na gestação e tenho a pressão mais para baixa, então quando algo que exige mais energeticamente, eu tenho alguns episódios de tontura, tremedeira e até enjôo, alguns dias após o parto eu tive um episódio desses e quando eu percebi, aquele dia eu não tinha tomado placenta. Minha mãe no princípio achou meio absurda essa ideia de placenta, mas os efeitos eram tão claros que ela começou a me cobrar de tomar a placenta. Também senti bastante diferença no leite e até hoje tenho cápsulas guardadas para quando sinto que a produção não está satisfatória.’

 

  1. Clara

“Siiim!

Comecei a tomar as cápsulas de placenta um ou dois dias depois do parto. As lembranças que tenho do período são de equilíbrio, tanto emocional como físico. Claro que as emoções ficaram afloradas, mas não tive dificuldade para lidar com elas. Sempre tive boa disposição e facilidade com a amamentação. Tomar as cápsulas foram pra mim a continuidade do processo de humanização do parto, uma forma de viver o momento mais conectada a minha natureza. Senti aflorar meu ser mamífero, minha força de leoa pra lamber e proteger a cria…rs

bjs!”

 

  1. Juliana

“Caramba, também não tenho comparativo, pois tomei após o nascimento do meu único filho. Me senti muito bem disposta, exatamente como uma de vocês descreveu aí em cima: uma montanha russa de emoções sim, choros, alegrias, sentimentos de capacidade e incapacidade – mil coisas – mas me sentia super bem para encará-las, mesmo com a privação de sono. Sentia bastante energia também. Nunca tive excesso de produção de leite, mas ao começar a tomá-las tive um início de empedramento (estava tomando duas por dia). Baixei a medida para uma cápsula por dia e a produção do leite se ajustou bem. Considero que passei até por uma certa “euforia” pós parto haha pois achei mais tranquilo do que o esperado aquele comecinho. A volta ao trabalho trouxe toda uma nova complexidade a essa “tranquilidade” e acho que as cápsulas tb me ajudaram, pois foi quando o cansaço e a falta de sono bateu forte mesmo.

Ops, vendo agora as mensagens, não sei se já queriam os relatos ou só um “quero contribuir”! De todo modo, quero contribuir e já mando o relato. Fiz um check up recente e está tudo bem, apenas uma leve anemia. Vou até tirar umas capsulinhas restantes lá do fundo do freezer. Aviso vcs se melhorar! 🙂

Beijos”

 

  1. Danyele

“Que linda iniciativa!!!

Meus partos foram todos em contextos muito diferentes, eu era uma pessoa muito diferente em cada parto, então não sei avaliar bem até que ponto as cápsulas contribuíram, pois eu tomei apenas no último parto. Posso afirmar com certeza que a decisão de tomar as cápsulas por si só já foi uma grande conquista e fez eu me sentir mais eu, mais conectada comigo e com a minha verdade.

Meu primeiro parto foi cesárea e eu nem pensava em placenta naquela época, a coitada virou lixo hospitalar sem eu nem ver… o segundo foi parto domiciliar, foi lindo, e eu tinha vontade era de traçar a placenta frita no almoço, mas ao contar com a coragem de algum familiar bondoso que fizesse o preparo pra mim a coitada da placenta tá congelada até hoje… vai virar uma árvore em breve!

No terceiro, também parto domiciliar, finalmente consegui consumir minha placenta e honrar este órgão tão maravilhoso! Toda a minha caminhada pela maternidade foi também um caminhar pra dentro de mim mesma, foi uma busca pela minha verdade, pela minha essência, e após 3 filhos eu encarei e encaro tudo com muito mais sabedoria e mais tranquilidade. No pós parto da Isabella, tive uma produção fantástica de leite, tive muita disposição para encarar qualquer desafio que pudesse vir, como acordar de madrugada com a certeza de que não dormiria durante o dia seguinte, pois teria os outros dois pra dar atenção, não tive baby blues, e a libido estava de adolescente após alguns meses do parto! Poder tomar as cápsulas de placenta foi um grande passo no meu empoderamento e com certeza teve sua contribuição, embora imensurável, em todo o meu sistema no pós parto!

Danyelle Catini, 32 anos, mãe do Davi, 4, Giovanna, 3 e Isabella, 1.

Espero ter contribuído! desculpa se ficou longo…”

 

  1. Andréa

“Eu tomei as cápsulas depois do nascimento da minha única filha e posso dizer, sem dúvida, que me ajudaram muito. Minha placenta era pequena e rendeu menos cápsulas do que as das outras mulheres, por isso eu tomava apenas uma cápsula por dia. Mesmo assim, com a dose reduzida, senti uma melhora significativa no blues pós parto, na minha energia e disposição. Além disso, era tomar a cápsula e haja leite! Ainda tenho cápsulas e, toda vez que me sinto muito cansada, tomo uma e é uma maravilha!

Andrea Villar, 31 anos, mãe da Elisa de 5 meses.

Bjs”

 

  1. Aurinete

“O que posso dizer é que quando consumi as cápsulas de placenta eu senti uma vitalidade impressionante, e senti essa vitalidade sendo transmitida para a minha filha, senti a diferença de quando meu primeiro filho nasceu e não tive esta oportunidade, na época do meu primeiro filho tive uma baixa considerável de ferro, tanto que o meu sistema imunológico ficou sensível, tive problema de saúde e ainda bem que cuidei a tempo aplicando ferro direto na veia. Mas com a placenta e outras vitaminas foi bem melhor. Viva a placenta!!!!!! Grata a Luz de Candeeiro por este trabalho que com certeza só traz benefícios.

Abraço fraterno!

Nete”

 

  1. Cléa

“Nossa!!! Eu tinha vinculado a cápsula à amamentação… então como Vinícius mama bem (4 1/2 meses), deixei ela bem guardadinha no freezer já pensando no retorno do trabalho… mas com uma irmã de 4 anos morta de ciúmes, que resolveu não dormir mais, não comer mais e fica nos “atacando” (apertões, amassos, empurrões…) e uma alteração no ritmo de sono dele também, não durmo há uns 15 dias seguidos, me sentindo exausta e toda dolorida… nem passou pela cabeça tomar as cápsulas… derrrr…

Com o depoimento de vcs irei tomar… “

 

  1. Micaela

“Aninha amada!

Senti a mesma coisa que a Carol! Tomar as capsulas de placenta me ajudaram muito. Senti mais disposição física e no plano emocional uma força grande para seguir no processo de amamentação e na maternagem com meus gêmeos. Sentir que estava repondo minhas energias com meus próprios tecidos, com minha própria placenta em encheu de força e também orgulho!

Gratidão sempre, meninas!

PS: podem usar meu nome tb! Micaela Neiva, 38 anos. Mica”

 

  1. Marília

“Consumi as cápsulas de placenta dos 2 primeiros meses: senti melhora no humor, mais disposta, um sono mais reparador (apesar de ser aquele sono picado a cada 2h ou 3h);

Depois eu guardei as capsulas para quando voltasse a trabalhar.

Com 6 meses de pós-parto:

Voltei a trabalhar em uma escala de 60 horas semanais. Eram 12h diárias.

Consegui manter a ordenha manual de 600 a 700 ml de leite por dia graças às capsulas de placenta.

Foi essencial !! O bebê ainda não estava aceitando regularmente os alimentos sólidos, então era predominantemente o meu leite ordenhando que o sustentava até o 9º mês. A partir de então eu reduzi o consumo das capsulas e mantive a ordenha de apenas 200 a 300 ml por dia.

Ainda hoje, se eu precisar fazer um estoque de leite pro meu filhote é so eu tomar 2 capsulas, esperar 12 horas e bum, peito cheio.

É milagroso ! hahahha

Pode usar meu nome. Marília, 24 anos.’

 

Então é isso! Finalizo esse post agradecendo às mulheres que generosamente nos deram esses depoimentos, sabemos que o assunto é polêmico mas é muito bom ver mulheres se beneficiando dessa cura que vem delas mesmas. Quando começamos a desidratar e encapsular as placentas tivemos que fazer um treinamento no exterior porque ninguém oferecia esse serviço no Brasil e só o fizemos por causa da demanda das próprias mulheres. É justo que essa roda continue girando!

Se quiser conhecer mais sobre o serviço de encapsulamento de placenta ou quiser encapsular a sua, visite www.luzdecandeeiro.com.br/servicos-2/  ou www.facebook.com.br/beneficiosdaplacenta/

Beijos, até mais!