Nascimento da Gabriela – Gisele e Teo

Nascimento da Gabriela – Gisele e Teo

Minha pequena Gabriela você sempre foi Gabriela desde que decidi que queria ter uma filha. Foi seu irmão Teotonio Neto que abriu o caminho e veio me ensinar a ser mãe de vocês dois.

Sua história de nascimento começa com um pequeno relato de parto do seu irmão. Eu e papai já tínhamos uma linda história de amor, luta e batalha no ano de 2009 conseguimos construir um cantinho digno de uma família cheia de amor. A gravidez veio de presente de Natal e a gravidez transcorreu na maior tranquilidade. Sempre dizia que queria ter parto normal e a GO fofinha dizia que tudo bem, mas no fundo ela já foi minando meus planos e fui me acomodando para no final cair no conto da cesárea (infecção urinária). Marcamos seu nascimento para o dia 02/08/2010. Nunca digeri o parto e por isso nunca havia conseguido escrever nada sobre ele. Achei tudo muito artificial e sem contato mãe e filho – enfim eu que nunca havia sido internada para nada achei tudo horrível…

Em compensação seu irmão foi criado com muito amor e se tornou um menino doce, amável, carinhoso, falador e que todo mundo gosta de conviver, eu e papai refizemos toda a nossa vida para que ele estivesse em todos os momentos (saídas, viagens, passeios etc..)

Onde entra você minha pequena?

Aos dois anos e meio do seu irmão ele começou a rezar e nas orações pedia ao papai do céu um irmãozinho. O sonho de um novo serzinho para complementar nossa família começou a se moldar. Em junho de 2013 fizemos uma viagem linda até o México onde a família do papai toda estava presente, ali eu pensei que tu ias ser gerada (mas os planos de DEUS são diferentes e vocês quis ser gerada em Brasília mesmo kkkk) mas mais do que isso durante a viagem tive a grande notícia (em um relato de parto emocionante) … minha amiga Luiza Diener pariu lindamente a pequena Constança.               Agosto de 2013 comemoramos mais um aniversário do mano desta vez fomos para Curitiba a cidade Natal minha e do papai…. Foi a última viagem que fizemos antes de você ser concebida.

Setembro de 2013 chegou e a minha menstruação não, eu sabia o que estava acontecendo mas resolvi guardar esse momento para nós duas… fiz um teste de farmácia e lá estava bem fraquinha a segunda linha marcada – mandei para a minha querida amiga Luiza e com ela compartilhei essa minha desconfiança – uma semana depois eu tinha certeza que tu estava em meu ventre e resolvi fazer o exame de sangue (escondida do papai e do mano) – o exame acusou que tu estava mesmo crescendo em mim havia cinco semanas.

Comprei um presente lindo para o papai (mensageiro japonês, florais e o BETA devidamente impresso). Peguei o mano na creche e fomos buscar o papai no trabalho e fomos em direção ao Pilates do papai (no meio do caminho não aguentei e entreguei). Nossa como lembro da expressão dele quando leu aquele teste, papai ficou tão feliz, tão bobo. Seu irmão não entendia direito o que estava acontecendo mas vibrou quando contamos que ele que ia ganhar o tão sonhado irmão. Contamos para todos os familiares que bem felizes com a sua chegada.

Tratei de buscar no plano de saúde um obstetra que abraçasse o Parto Normal, comecei a me informar através de textos, livros, internet e pessoas que passaram por isso. Com doze semanas é feito um exame morfológico, não encontrei nenhuma clinica no plano que fizesse no período então tivemos que pagar e escolhemos um ótimo médico que quando fez o exame perguntou se fizemos a gente já tinha feito a sexagem fetal (não tinha feito, mas eu ia esperar a próxima ecografia), ele só de olhar nos deu certeza que era uma menina. Uma ecografia que fizemos em Curitiba só veio a certeza: Gabriela.

Nas consultas mensais voltou aquela sensação de dejavu de que o médico iria me levar a uma nova cirurgia e quanto mais me informava mais eu tinha certeza de que isso eu não queria.

No meu caso eu já tinha uma cesárea eletiva então estava tão fácil cair no conto de novo. Nessa época mamãe já tinha feito amizade com algumas amigas que tinham umas ideias diferente a respeito do nascimento respeitoso e a pulguinha do parto humanizado começou a picar a mamãe.

Deus foi tão bondoso que colocou no meu caminho as pessoas certas para o caminho que eu tinha resolvido trilhar… O MUNDO DO PARTO HUMANIZADO. Pessoal desse novo MUNDO me alertaram (Taíza, Luíza, Adele, Erica de Paula etc) que se eu realmente quisesse um parto respeitoso eu ia ter que me desconectar da Matrix e ir realmente para o lado negro lindo do parto humanizado.

Mais uma vez a Luiza entrou no meu caminho e me inseriu em um grupo onde todas compartilhavam do mesmo ideal (umas mais radicais outras menos mas, todas prontas para informar).

Com 25 semanas eu tinha resolvido de vez… você iria chegar de forma respeitosa no aconchego da nossa casa. Sim foi o relato da Luiza e a ajuda desse pequeno grupo que me deu a certeza do que eu queria para meu o nosso pequeno núcleo familiar: um nascimento respeitoso onde nós seriamos os protagonistas da nossa história.

Marquei uma consulta com a queridíssima Paloma Terra (parteira da Luiza) e comecei a plantar a sementinha do Parto Humanizado no coração papai. Teu pai é um lindo, ele abraçou a ideia pelo simples fato de acreditar que eu podia parir e, quando teve certeza de que tudo ia ficar bem ele me deu toda a segurança do mundo e caminhamos juntos rumo ao seu parto. Poucas pessoas ficaram sabendo de nossa decisão, o parto domiciliar é visto por quase todos como algo perigoso e corajoso (coragem é fazer outra cesariana).

As consultas eram uma delícia a salinha toda decorada e com um cantinho cheio de brinquedos para os irmãos mais velhos se divertirem, parecia um bate papo de comadres. Paloma com sua voz suave ia nos orientando do que estava por vir, preparou seu irmão, emprestou livros infantis sobre a temática.

Quando deu 33 semanas saltei de vez fora da Matrix, rompi com o GO do plano – nessa última consulta tive a certeza que ele iria me levar para uma cesariana e se eu teimasse um pouco iria ter um Parto Normal, mas do jeito que ele queria – cheia de intervenções e restrições (41 semanas – episiotomia – manobras invasivas – hospital etc).

Escolhi um médico para ser backup da Paloma (caso eu ultrapassasse a data de validade de 42 semanas ou houvesse alguma intercorrência durante o trabalho de parto) e seguimos a vida trabalhando, curtindo os últimos dias de filho único do mano e fazendo uma última reforma na nossa casinha. Com 36 semanas Paloma e a Rafaela Araújo nos fez uma visita para conhecer o ambiente (cheia de bagunça da obra) e ela queria ter certeza que tudo ia estar pronto para sua chegada.

Vovó Maria chegou eu estava com 38 semanas de uma gravidez tranquila e mega saudável – ela ajudou tanto, fez mudança, lavou suas roupinhas e compartilhou comigo todas as emoções das últimas semanas.

  • 39 semanas – virada da lua e um monte de índia (agora eu era da TRIBO) pariram lindamente seus curumins e você nada…
  • 40 semanas – já tinha parado de trabalhar então veio a ansiedade de te ver logo, vó Maria dizia que tu não estavas madura ainda… PACIÊNCIA mãe EU vou escolher minha hora…. Desabafei nos grupos meus medos e incertezas e tive algumas ajudas virtuais importantes.
  • 41 semanas:
    • 41 + 2 (26/05): Paloma nos disse que o prazo máximo que ela poderia esperar era até 42 semanas (31/05), ai indicou a possibilidade fazer acupuntura e eu que tinha pavor de agulha encarei minha primeira sessão com o Dr Eli Formiga (mais que recomendado) e tive meu primeiro flerte com as contrações e dor. Ao mesmo tempo comecei a tomar algumas ervas concentradas, rebolava na bola de pilates e fazia estimulação nas mamas com a bombinha de amamentação;
    • 41 + 3 (27/05): acordei cedo com insônia e fui caminhar para o TP engrenar. Na consulta tudo certo com você, Dr. Bruno falou que o prazo dele era até 42 semanas (meu mundo estava confuso) e marcamos a cesárea para essa data 31/05 (sim filha tínhamos escolhido uma data limite), ele ainda brincou que todos que marcavam a cirurgia entravam em TP antes. Sai do consultório bem triste e fomos para mais uma sessão de acupuntura, sai de lá e tive a honra de receber a visita da Luiza, Benjoca e Sansa, que tarde gostosa esqueci por algumas horas de toda a tensão que estava passando;
    • 41 + 4: terceira sessão de acupuntura, nessa eu chorei muito e, meu sonho de PD estava com data de validade a vencer. Dr. Eli se compadeceu de minha pessoa e colocou 36 pontos de agulhas (seria sua última cartada rssssssssss) mas falou para eu marcar mais uma sessão no dia seguinte após a consulta com a Paloma, ele fez uma oração e disse que acreditava que eu ia entrar em TP. A noite cheguei em casa e o papai olhou para mim e disse que topava “passar a data de validade” e se necessário pegar uma médica que aguardasse sua data de nascimento… naquele momento me libertei de todas as amarras que me prendiam e conversei contigo,

“VENHA QUANDO TIVER QUE VIR, ESTAMOS DE ESPERANDO NA SUA HORA”

  • 41 + 5 (29/05): acordei de um sono delicioso e com aquela sensação de que tudo iria dar certo, resolvi tomar um banho antes de encontrar com a Paloma, tirei uma foto (a última do barrigão) e senti uma leve dor embaixo da barriga. Resolvi brincar no aplicativo “Contration Timer” e contar de quanto em quanto tempo sentia essa “dorzinha”, das 07h50 às 9h30 elas estavam totalmente irregulares (intervalo de 15 a 10 minutos e contração duração de 1 minuto), dei um print na tela e mandei para a Paloma via WhatsApp (ela estava atendendo outro parto), me aninhei no chão do banheiro sentindo algumas dores
  • Após as 9h30 os intervalos se regularam (intervalo de 5 minutos e contração duração de 1 a 2 minutos), e a Paloma realmente se preocupou e enviou a Iara (Luz de Candeeiro – que eu deveria ter conhecido antes e não deu tempo).
  • Iara chegou as 11h40 e segundo seu relato eu já estava com colo médio e dilatação 3-4 (teria umas boas horas para chegar no 10). Seus batimentos estavam ótimos e ela ordenou que me tirassem do meu aconchego (o chão do banheiro);

Desse momento em diante não lembro a sequência dos fatos e me utilizo das anotações da querida Iara que foi uma ANJA que nos orientou nessa passagem. Ao 12h30 tinha uma piscina deliciosa no banheiro de cima, entrei nela e me entreguei as dores e contrações (a cada uma eu repetia mentalmente que era menos uma para você chegar), vomitei algumas vezes e meu corpo ia fazendo seu serviço. Seu irmão entrou, brincou, fez carinho, bateu papo com a Iara. Seu pai entrava e saia e não sabia mais o que fazer para ajudar, seu olhar me reconfortava. Vovó Maria espiava do canto da porta desconfiada e seu olhar denunciava a preocupação em ver sua filha sentido dor. Via a Iara no meio da fumaça da sauna que se formava aquilo me tranquilizava, pois ela estava calma.

As 14h30 falei para a Iara que não queria ficar mais na água e estava com vontade de fazer cocô, ela disse que não era coco era a Gabi que estava chegando. Junto com a notícia chegou a outra ANJA a queridíssima Ana Cyntia (já chegou me conhecendo como vim ao mundo – pelada, chorando e barriguda rsssssss).

As duas me orientaram a ir para a cama, as contrações ficaram muito doloridas e não me senti bem, resolvi ficar de pé e fui absorvendo todas as instruções das duas, em algum momento entrei na PARTOLÂNDIA sentei na cadeira de parto e procurei apoio no colo do seu pai, a dor foi amortecendo vi que tinha mecônio no tapete de proteção e fiquei muito preocupada (mal sabia que tinha saído a cabeça – viva as fotografias) e numa força incrível você saiu… meu DEUS eu pari… que emoção… eram 15h58 seu irmão estava lá embaixo brincando e logo subiu para te ver, minha placenta saiu dois minutos depois (linda de ver) – 3,500 KG e 50 cm de pura gostosura, Apgar 10 – 10. Seu irmão lembrou que não tinha roupinha e correu pegar uma. Tanta emoção, tanto amor envolvido, que atmosfera, que energia, um dia lindo de sol, uma nova vida havia chegando, meia hora depois seu pai e seu irmão cortaram o cordão que nos unia e uniu nós quatro ainda mais….

Nunca mais vou esquecer essa data…

…..obrigado a todos que contribuíram para meu empoderamento

…..obrigado mãe por me dar a vida e ver eu dando a vida,

…..obrigado meu marido por acreditar no que é normal, eu te amo ainda mais,

…..obrigado meu filho por você abrir a passagem,

…..obrigado DEUS por sempre estar ao meu lado e

…..obrigado GABRIELA por ser minha filha