Relato – Mariana, mãe de Benjamin, esposa de Fernando

Intenso. Expectativa enorme para o grande momento, mas nunca em dúvida se daria tudo certo. Ansiedade. Como vai ser? Vai doer? Vai lacerar? Vai demorar?

As parteiras me passaram muita confiança em seus trabalhos, além de dedicação, sensibilidade, respeito e profissionalismo. Dormiram em casa, caminharam comigo, e ficaram ali assistindo o meu desenrolar e desabrochar de mãe. Apoio dos meus pais, e do meu amor, meu maridão que foi muito sensível e respeitoso quando pedi (na hora me deu vontade de ficar só), para que ele saísse. Estar ali banhada pela agua, em meio a contrações, a introspecção, a conexão com meu lado mais animal. Antes disso salve o chuveiro, e que dor na lombar! mexe aqui, rebola ali, alonga aqui. Meu corpo queria se mover. Não consigo imaginar ter que ficar parada ou zanzando em corredor de hospital. muito bom poder sair de casa, mover, entrar no MEU chuveiro. Medos surgiram, contraíram meu períneo e nada de eu deixar soltar o bebê. Muda aqui, ali, sai da agua, vai p/ a banqueta de cócoras, volta p/ agua, sai da agua, chama o marido, agacha e vai!

Nasceu! Num lindo sábado de sol, após 4 horas de trabalho de parto. e 3 dias de preparação, com leves contrações. Agua de coco, chocolate, azeitona! foram essenciais para eu degustar durante todo o processo. Benjamin veio para meu colo direto, meu filhote! Eu não soltei mais, e fui amparada pelas parteiras e marido para poder ir até nosso quarto, deitar na MINHA cama, esperar para cortar o cordão,
meu filho ser cuidadosamente examinado, limpado e vestido para voltar para meus braços.

Rapidamente, ficamos só nós três. nos cheirando, nos curtindo. Aí o maridão pegou o filho, não largou mais, eu já queria tomar um banho, ir comer, deitar. cada vez que lembro do dia do nascimento de Benjamin, do parto em si, agradeço por ter tido a inspiração e confiado em mim mesma que eu seria capaz de parir. Claro que plano B e C foram traçados, e eu tinha em mente que se eu quisesse na hora iria para a maternidade. Por ficar a vontade relaxei e amei esta experiência. Parir no meu lar, poder seguir meus instintos sem ter um monte de gente e aparatos dizendo o que tenho ou não que fazer foi muito bom e relaxante. Eu, meu corpo, meus instintos sem intervenção desnecessária, só amor e cuidado pairando no ar. E a música que foi ótima escolha das parteiras amadas!

Mariana, mae de Benjamin 9 meses, esposa de Fernando.